O programa REM é uma iniciativa inovadora que premia os pioneiros da proteção florestal e da mitigação do clima. Lançado na Conferência Rio+20, em junho de 2012, com recursos do Fundo de Energia e Clima do Governo Federal da Alemanha, esse Programa incentiva a conservação das florestas e a redução de emissões de carbono de modo a contribuir para a mitigação das mudanças do clima, especialmente do aquecimento global.

A finalidade do Programa REM é apoiar com “financiamento ponte” implementadores de programas jurisdicionais de REDD+ para fortalecer sua autonomia e sustentabilidade. Nomeado mundialmente como – REDD +, de acordo com as decisões sob o marco da Organização das Nações Unidas Mudança Climática (UNFCCC).

O fomento é realizado por meio de remuneração baseada nos resultados adequadamente documentados e verificados de redução de emissões por desmatamento. A finalidade, portanto, do Programa REM é apoiar com “financiamento ponte” implementadores de programas nacionais e subnacionais de REDD+.

O Programa ISA Carbono, o primeiro implementado no âmbito do Sistema de Incentivos a Serviços Ambientais (SISA), foi eleito na modalidade do Programa REM “remuneração por resultados”, aplicável para atores que tenham avançado o suficiente no processo preparativo de REDD (REDD readiness), ou seja, na criação do marco político, institucional e técnico para ampliar a segurança para a remuneração de reduções de emissões sobre resultados.

Desta forma, o Programa REM com o Estado do Acre também consiste na remuneração ou “premiação” sobre resultados (ex-post) de reduções de emissões de gases de efeito estufa oriundos do desmatamento, teve sua primeira fase implementada com recursos de Ajuda Oficial para o Desenvolvimento (AOD) no âmbito da Cooperação Financeira Alemã e agora inicia a implementação de uma segunda fase, também com a parceria do Reino Unido/BEIS.

Além de estabelecer as bases técnicas para a contabilidade do carbono, estruturas participativas para a construção do sistema, diversos subprogramas e estratégias de implementação, o SISA adotou uma abordagem de repartição de benefícios denominada “estoque-fluxo-programática”, ou seja, garantindo uma distribuição equilibrada tanto para os atores que contribuíram para a redução das emissões de gases de efeito estufa (redução do fluxo) como aqueles que ainda empreendem esforços para manterem a conservação das florestas (manutenção dos estoques), com a aplicação dos recursos financeiros através de políticas ou programas já existentes no Estado. Considerando os resultados, a sólida governança do SISA e a credibilidade baseada no princípio de conservadorismo, o SISA foi escolhido como primeiro caso de implementação do Programa REM entre 2012 e 2016.

Para implementação da repartição de benefícios, foi desenvolvido para o Programa REM no Acre subprogramas dentro do programa ISA Carbono.

Os subprogramas do Programa ISA Carbono implementados por meio do Programa REM

Subprograma Indígena
Subprograma Produção Familiar Sustentável
Subprograma Extrativismo
Subprograma Pecuária Diversificada Sustentável